Get Adobe Flash player

Parceiros Premium

 Rijk Zwaan

 

 

 

Brócolis

Nome científico: Brassica oleracea variedade itálica
Família: Brassicáceas (sinonímia: Crucíferas)
Nome comum: brócolo, brócoli, couve-brócolo
Origem: Costa do Mediterrâneo, Ásia Menor e Costa Ocidental Européia
Descrição e característica da planta: a planta é semelhante à couve-flor, mas a grande diferença está na inflorescência. Nos brócolos, a inflorescência, antes da abertura das flores, é totalmente verde-escura e, na couve-flor, é branca ou creme. A inflorescência de brócolos pode ser de dois tipos: a) ramoso: a inflorescência é lateral e numerosa. Para comercialização, os brotos laterais tenros com os botões florais são reunidos e amarrados, formando maços; b) cabeça única: forma uma cabeça que lembra a couve-flor, menos a cor, que é verde-escura. As variedades e híbridos disponíveis no mercado são:
a) tipo ramoso: Calabresa, Centurion, Condor, De Cicco, Flórida, Piracicaba Precoce de Verão, Ramoso Brasília, Ramoso Piracicaba e Ramoso Santana;
b) tipo cabeça única: Baron, Gig Sur, Everest, Florete, Flórida, Haitsu, Hanamidori, Hanamori, Legacy, Marshall, Packman, Patriot, Pinnacie, Pirate, Romanesco, Sabre, Shigemori, Skiff, Stolto e Sunrise (Fonte – IAC. Boletim 200: Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. 6ª edição. Campinas, SP. 1998. 396 p.).
A planta se desenvolve bem e floresce em condições de clima ameno a frio, solos férteis, ricos em matéria orgânica e não sujeitos a encharcamento. A colheita é feita cerca de 90 a 100 dias do plantio, quando a inflorescência está bem desenvolvida e os botões florais estão fechados e de cor verde-escura. Flores abertas não servem para o comércio, porque ficam amarelas. A propagação é feita por sementes e as mudas são obtidas em estufas e depois transplantadas ao campo.
Produção e produtividade: a produtividade normal chega a 10.000 a 13.000 maços por hectare. No Brasil, os estados das regiões Sudeste e Sul são os maiores produtores e consumidores dessa hortaliça.
Utilidade: a inflorescência com haste grossa e tenra e com botões florais nas extremidades constitui as partes comestíveis. Pode ser consumida ao natural como salada ou cozida e apresenta boas características nutricionais, pois, em cada 100 gramas de produto cozido contém: proteína - 3,3 gramas, fósforo - 70 miligramas, riboflavina - 150 microgramas, altos teores de cálcio, 400 miligramas, e vitamina C - 74 miligramas de ácido ascórbico. (Fonte – IAC. Boletim 200: Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. 6ª edição. Campinas, SP. 1998. 396 p.)

Newsletter

Facebook