Get Adobe Flash player

Parceiros Premium

 Rijk Zwaan

 

 

 

Mandioca

Nome científico: Manihot esculenta
Família: Euforbiáceas
Nome comum: mandioca-mansa, mandioca-brava, aipim, cassava, macaxeira
Origem: Brasil


Descrição e característica da planta: a mandioca é uma cultura anual e o seu principal produto são as raízes tuberosas, ricas em amido. Existem centenas de variedades de mandioca e as raízes de muitas delas não podem ser consumidas após um simples cozimento. Isso porque, nessas variedades, conhecidas como mandioca-brava ou mandioca para indústria, contêm alto teor de compostos tóxicos, os chamados cianoglicosídeos, que podem matar o consumidor. Esses compostos podem ser eliminados das raízes através de cortes em pedaços e secagem para volatilização do ácido cianídrico. Outra forma para eliminar os compostos tóxicos é o aquecimento à temperatura acima de 180º C para liberar o radical cianeto. As mandiocas-mansas são variedades que contém baixo teor de compostos tóxicos que não prejudicam o consumidor. Essas variedades podem ser consumidas após o cozimento. As folhas e os ramos também contêm os compostos cianoglicosídeos. A mandioca é cultivada em todos os estados brasileiros e não tolera a geada. Nas regiões mais frias, a planta perde todas as folhas durante o inverno e, se houver geada, os ramos podem secar, mas não as raízes tuberosas sob o solo. Em geral, nas lavouras de mandioca-mansa, a colheita das raízes é feita em plantas com um ano ou pouco menos, porque cozinham melhor e são mais aceitas pelo consumidor. A propagação é feita por ramos (manivas) cortados em pedaços de 15 a 20 centímetros de comprimento. Esses ramos são plantados diretamente no local definitivo no campo. As sementes produzidas só têm interesse no programa de melhoramento genético para a produção de novas variedades.


Produção e produtividade: o Brasil é o segundo maior produtor mundial de mandioca, sendo o primeiro a Nigéria. Em 1999, o consumo médio de mandioca e seus derivados no mundo foram 17,4 quilos por habitante por ano, enquanto que no Brasil foram 50,6 quilos. A produtividade média brasileira é baixa, em torno de 15 toneladas por hectare, mas pode chegar até 30 toneladas. Os maiores produtores são os estados do Pará, do Paraná, da Bahia, de São Paulo, do Rio Grande do Sul e do Maranhão.


Utilidade: a raiz tuberosa da mandioca pode ser consumida cozida (mandioca-mansa), industrializada para produção da farinha, fécula e bijú. A fécula é usada no setor de indústria alimentícia, química, têxtil, farmacêutica, embalagens biodegradáveis e outros produtos. As folhas novas são usadas na alimentação humana, depois de tratamentos especiais para a eliminação de compostos tóxicos nelas contidas, enquanto que os ramos e folhas são usados na forma de silagem para bovinos de corte e de leite.

Newsletter

Facebook